Como convencer alguém a se internar em uma clínica de reabilitação?

Escrito por em 18/05/2022

Atualmente no Brasil, mais de um quarto da população necessita de medicação contra algum tipo de vício. Porém, na maioria das vezes,não percebem a necessidade de tratamento por conta de não admitirem que há algum problema. Ao mesmo tempo, no entanto, eles são incapazes de parar o uso de drogas ou álcool por conta própria.

 

Se o seu conhecido está lutando contra o vício, é importante perceber que o vício é uma doença e que precisa de tratamento médico. Nesse sentido, os medicamentos têm o poder de assumir completamente os comportamentos e as prioridades de uma pessoa, afinal, ao controlar, eles têm a capacidade influenciar na tomada de decisões, porém, não com racionalidade.

 

Além disso, como muitos acabam se recusando a se submeterem a algum tipo de tratamento para dependentes químicos, separamos aqui neste artigo algumas dicas que podem te ajudar a convencer seu conhecido a ir para uma clínica de reabilitação. Continue a leitura e confira.

Você pode convencer alguém a se internar?

Convencer alguém a ir para a reabilitação pode ser difícil. Mas, em muitos casos, isso pode ser feito. Ao abordar o assunto com jeito e estratégia, você pode permitir que seu familiar receba a ajuda de que precisa. 

 

Nos tópicos a seguir, separamos algumas dicas que podem te ajudar a convencer o seu conhecido a procurar ou, até mesmo, aceitar por ajuda. Confira: 

Consulte o médico

Comece encontrando-se com um médico ou especialista em vícios para obter orientações sobre como abordar seu conhecido dependente químico. Eles podem fornecer recursos educacionais, opções de tratamento e dicas sobre como conversar melhor com seu conhecido, seja ele um membro da família ou um amigo.

Tente mostrar o melhor caminho através de conversas 

Antes de entrar em contato com seu ente querido sobre a recuperação, é importante entender sobre o tópico de abuso e dependência de substâncias, afinal ter os fatos prontos para a conversa é essencial. 

Em seguida, aprenda sobre os perigos de tal abuso de substâncias e distúrbios viciantes. Leia e converse com um especialista em vícios ou participe de um grupo de apoio na área de dependência de seu conhecido. Isso permitirá que você responda a quaisquer perguntas que seu ente querido tenha e conduza a conversa com a cabeça fria.

Ao reconhecer que o vício é uma doença e saber como isso afeta o psicológico de uma pessoa, você pode abordar o tema da recuperação de uma perspectiva mais compreensiva e passiva.

Após isso, converse abertamente com seu conhecido, escolha o momento onde ninguém esteja com pressa e que vocês tenham privacidade. Fique calmo, sem julgamentos e sem confrontos, apenas tente fazer com que ele entenda a situação.

Em vez de culpar, explique como você se sente quando ele mostra certos comportamentos viciantes, usando exemplos específicos de como suas ações prejudicam a si mesmo e as pessoas à sua volta. 

Evite emoções e atitudes negativas

Ao intervir, tenha calma e paciência. Embora o vício de seu familiar possa te machucar e fazer com que você sinta coisas ruins, como, por exemplo, raiva, é importante mantê-lo fora da intervenção. Essas emoções negativas não fazem com que o seu conhecido entenda ou queira mudar.

Em vez disso, deixe essa pessoa saber que a intervenção vem de um lugar de amor. Você quer que ele se recupere porque você, quer vê-lo saudável ​​e feliz novamente, de maneira segura. 

Deixe ele saber o quanto você o ama e que ele não está sozinho. Além disso, certifique-se de que ele saiba o quanto o vício está prejudicando todos ao seu redor. 

Além disso, ouça o mesmo tanto quanto você fala. Para que uma conversa seja produtiva, seu ente querido deve se sentir visto e ouvido. Dê o espaço que ele precisa para que ele fale sobre sua própria situação.

Forneça as informações sobre as opções de tratamento

É fundamental fornecer opções de tratamento específicas para seu conhecido viciado. Se você interveio, provavelmente já mostrou para ele todas as opções possíveis. 

Discuta as várias opções de tratamento disponíveis, incluindo hospitalização e reabilitação, com um profissional especializado na área da dependência.

Não espere a situação piorar

É importante lembrar, ainda, que não é preciso esperar a situação de seu familiar piorar para, só então, ir buscar ajuda. Assim que perceber que algo está saindo do normal e que a situação está em um quadro perigoso, procure por ajuda. 

Converse com profissionais da área, pesquise sobre os vícios e, até mesmo, em maneiras que você pode ajudar o seu ente querido a superar o vício caso ele se recuse a ir para uma clínica de reabilitação.

Após tentar várias situações, converse com seu conhecido, explique a situação e, então, fale com ele sobre as formas de tratar esse vício, da maneira mais calma e paciente possível. 

 


Opiniões dos leitores

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados com *



[Não há estações de rádio no banco de dados]